A tecnologia trouxe grandes avanços e conveniências, sim, mas à custa da privacidade. Basta estar atento às noticias para podermos observar vários exemplos disso. Um exemplo, até mediático, desta espionagem foi o caso da NSA que lançou o seu olhar atento sobre a vida da Chanceler alemã, Angela Merkel, bem como dos  seus conselheiros mais próximos, durante anos. De acordo com o co-fundador do WikiLeaks, Julian Assange, a NSA intercepta 98% das comunicações da América do Sul.

O caso whatsapp no Brasil é paradigmático , um juiz manda os operadores  de internet bloquear uma aplicação de mensagens porque a empresa dona da aplicação afirma não guardar as mensagens trocadas e portanto não possui essa informação em seu poder.

 

 

1- A oferta esta limitada a 21 milhões.

A  taxa com que são criadas novas  bitcoin durante os próximos cem anos  vai abrandar - a cada quatro anos, o número de novas Bitcoin  "cunhadas" diminui para metade , preservando o seu poder de compra. "Dado o seu crescimento previsível e fornecimento  final fixo ,a  bitcoin poderá tornar-se uma reserva de valor superior a moedas tradicionais  a longo prazo",


A comunidade Bitcoin está dividida. No centro desta divisão está a forma de resolver o problema de escalabilidade da Bitcoin.

O facto da Bitcoin ter o tamanho dos blocos limitados a 1 MB é um problema cada vez maior, na medida em que não é suficiente para as necessidades actuais e tende a agravar-se com o passar do tempo.    

Um bloco de Bitcoin não é mais que um conjunto de transacções agregadas que, uma vez confirmadas, são distribuídas por todos os nós da rede.

 

Bitcoin, cadeia de blocos e implicações sociais: uma restruturação global?

Quando uma tecnologia é suficientemente inovadora é muito provável que acabe por se impôr. A históra está cheia de exemplos que acompanham esta ideia. Tal como na guerra das correntes eléctricas, em que apesar de inicialmente ter sido adoptada como padrão a corrente contínua (1) para a distribuição de electricidade nos USA, a corrente alternada (2) acabou por se impôr. O mesmo tem acontecido com outras tecnologias, em que a sociedade em geral dá como um dado adquirido a sua viabilidade máxima e incontornável até que outra surge e as torna obsoletas. À medida que a tecnologia avança, estes casos são cada vez mais comuns. A título de exemplo, mencionamos a fotografia digital que potenciou a falência da kodak, algo totalmente impensável há poucos anos atrás; ou a internet e o 'vídeo on demand' fornecido pelos operadores de televisão por cabo que esteve na origem do desaparecimento, em poucos anos, dos vídeo-clube. São inúmeros os casos desta natureza que poderíamos aqui elencar.

 

A União Europeia prepara-se para limitar o uso da Bitcoin, bem como de outros meios de pagamento. Paralelamente, os Estados Unidos da América pressionam as empresas tecnológicias para fornecerem acessos clandestinos às mensagens privadas e codificadas dos seus utilizadores.

Estas são algumas das notícias dos últimos dias. Não importa como nem porquê, importa sim controlar e vigiar, nomeadamente, através do aproveitamento dos acontecimentos sociais mais sangrentos. Em prol do que denominam como missão pela paz e pela segurança que os próprios perverteram, invocam o que designamos de extorsão de privacidade sob pretexto para limitar a liberdade e legitimar a vigilância.

 

JornalBitcoin Newsletter